FILTRE SUAS NOTÍCIAS POR DEPARTAMENTO

Usina Tamoio fecha as portas e demite 250 trabalhadores. Atividades foram encerradas na manhã desta segunda-feira (13)

voltar
usina-tamoio-fecha-as-portas-e-demite250-trabalhadores-atividades-foram-encerradas-na-manha-desta-segunda-feira13
Foto: Por G1 São Carlos e Araraquara
A histórica Usina Tamoio, hoje parte integrante do patrimônio da Raízen, fechou as portas na manhã desta segunda-feira (13), em Araraquara. Cerca de 250 trabalhadores do setor industrial da empresa que fica às margens da Rodovia Washington Luis (SP-310), foram demitidos.
 
A informação foi confirmada pela própria Raízen que evitou falar em fechamento, classificando o caso de forma diferente: "a empresa decidiu suspender as atividades industriais da unidade Tamoio, em Araraquara (SP), por um período inicialmente previsto de 2 anos”.
 
Mesmo com uma moagem anual na casa das 73 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e contando com 860 mil hectares de área agrícola cultivada, a justificativa para o fechamento da Usina Tamoio foi justamente a falta de matéria prima na região.
 
“A paralisação se dará devido a um cenário de menor disponibilidade de cana-de-açúcar nesta região e otimização logística e de produção da Raízen. A cana-de-açúcar destinada à unidade Tamoio será redirecionada a outras unidades da empresa não havendo redução da moagem total do Grupo Raízen. A operação agrícola própria e dos fornecedores de cana da Raízen não será impactada", diz o texto.
 
Essa versão também foi confirmada pelo presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Araraquara (Stiala), Antônio Gonçalves Filho. “Estamos falando de 250 pessoas desempregadas, muitos de Araraquara, Ibaté, São Carlos e cidades da região”, diz o sindicalista.
 
Apesar do enorme impacto econômico para a região, segundo o sindicalista, não há nada que possa ser feito juridicamente para reverter essa decisão. “Eles chegaram para trabalhar e foram informados da demissão. Em seguida, colocados nos ônibus. A Usina já encerrou as atividades a partir de hoje”, garante.
 
Trabalhadores também estão assustados: "Não sei o que fazer. Temos que rezar pra Deus nos dar força para buscar uma recolocação no mercado de trabalho, mas com essa crise, não será fácil", contou uma funcionária que há 17 anos trabalhava na usina e que preferiu não se identificar.
 
A decisão da empresa teria pego, inclusive, os gestores da unidade de surpresa já que a Tamoio vinha recebendo constantes investimentos da Raízen tanto na planta da fábrica como em instalações. Recentemente, por exemplo, um novo laboratório passou a funcionar no local.
 
Há dois anos uma decisão semelhante também provocou demissões e o fechamento da unidade produtora de Bom Retiro (SP). A "hibernação" como eles chamam durou até o começo deste ano quanto a indústria retomou suas atividades e voltou a moer cana. De acordo com o apurado pelo portal A Cidade ON Araraquara o mesmo pode ocorrer com a Usina Tamoio.
 
Considerada histórica, a Usina acumula memórias e prédios em fase de tombamento, garante o historiador Rogério Tampelini. "Estávamos em fase de acordo com a empresa para manter os espaços como a igreja e o campo de futebol", frisa o historiador temendo a degradação do local.
 
Novas usinas
Recentemente a Raízen adquiriu em um leilão as usinas Santa Cândida, em Bocaina (SP), e Paraíso, em Brotas (SP). Ambas pertenciam ao grupo Tonon Bioenergia, que está em recuperação judicial.
 
Interlocutores acreditam que a produção de cana da região será aproveitada nessas novas unidades, o que deixaria a usina Tamoio “obsoleta”. A assessoria de imprensa da Raízen negou que a compra das novas unidades tenha relação com o fechamento da Usina Tamoio.
 
Em Araraquara a Raízen continua com sua unidade produtora na Rodovia Francisco José Zanin, km 04. Na região tem ainda a Unidade Produtora da Serra, em Ibaté; a Unidade Produtora de Bonfim, em Guariba e outras unidades em Dois Córregos, Barra Bonita e Jaú.
 
A Raízen em números
A Raízen foi criada a partir da junção de parte dos negócios da Shell com a Cosan. É atualmente a principal fabricante de etanol do país e a maior exportadora individual de açúcar de cana no marcado internacional. A empresa produz dois bilhões de litros de etanol e comercializados mais 25 bilhões de litros de combustível por ano.
 
Atualmente a Raízen conta com 26 unidades de produção de açúcar, etanol e bioenergia, tem 13 termoelétricas e fatura quase R$ 80 bilhões de reais por ano. A produção de açúcar é estimada em 4,2 milhões de toneladas. De acordo com o site da empresa, 30 mil pessoas trabalham nos diversos seguimentos em que atua.
 
Medidas
O prefeito Edinho Silva (PT) afirma que entrou em contato com a empresa para entender o que está acontecendo e se há possibilidade de reverter a situação. A direção do grupo se comprometeu a realizar, o mais breve possível, uma reunião com o Chefe do Executivo para formalizar a posição da empresa.
 
"É lamentável a suspensão, mesmo que temporária, das atividades da Usina Tamoio. São centenas de empregos, famílias que, a partir de hoje, sofrerão com o desemprego. Não podemos aceitar. Já me coloquei à disposição do Sindicato para lutar contra essa situação que nos entristece”, declara Edinho.
 


Fonte: A CIDADEON - Araraquara

  • Imprima
    essa Notícia
  • Faça um
    Comentário
  • Envie para
    um amigo
  • Compartilhar
    o conteúdo
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Newsletter

Receba as novidades no seu e-mail.